Pelo Brasil

Prefeito de SP decreta fechamento do comércio presencial

Medida não vale para farmácias, mercados, padarias, feiras, lanchonetes, restaurantes e postos


Por meio de um decreto assinado nesta quarta (18), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, determinou o fechamento do comércio na cidade, de forma presencial, para evitar a propagação do coronavírus. A medida terá início na sexta-feira (20) e vale até o dia 5 de abril.

Segundo a prefeitura, a medida não vale para farmácias, supermercados, padarias, feiras livres, mercados, lanchonetes, restaurantes, lojas de venda de alimentação para animais e postos de combustível, que terão, no entanto, que intensificar as ações de limpeza, além de disponibilizar álcool gel para os clientes. Eles também terão que manter espaçamento mínimo de um metro entre as mesas para seus clientes.

De acordo com a medida, os estabelecimentos comerciais que se encaixam na medida só poderão manter seus serviços administrativos e a realização de vendas por meio de aplicativos, internet ou instrumentos similares.