Geral

Índice de Breteau: Prefeitura realiza novo levantamento

Índice identifica a densidade larvária do mosquito Aedes aegypti, registrado nas residências da cidade


Duas vezes por ano, a Prefeitura de Jundiaí realiza o levantamento do Índice de Breteau, que identifica a densidade larvária do mosquito Aedes aegypti, registrado nas residências da cidade. A partir do número a cidade é mapeada e as áreas de maior risco são identificadas e as ações de prevenção e controle são intensificadas.

O levantamento do período de chuvas foi iniciado nesta segunda-feira (3) e tem prazo de 15 dias - podendo ser ampliado a partir da interferência do clima -, e  é realizado com o apoio dos Agentes Comunitários de Saúd" que, juntos com os técnicos da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), percorrerão 4,8 mil residências.

"O trabalho dos técnicos é identificar nos quintais das residências a situação, os riscos e, no caso de encontrar possíveis criadouros com água, fazer a coleta das amostras das larvas para a análise. É sabido que 80% dos criadouros dos mosquitos transmissores de dengue, chikungunya, zika e febre amarela são localizados nas residências. Durante o trabalho, que é feito pelos técnicos da UVZ e pelas Agentes Comunitárias de Saúde, as orientações sobre os cuidados com o ambiente são repassadas, no sentido de conscientizar as pessoas sobre a responsabilidade de cada um para com a sociedade", explica a biomédica da UVZ, Ana Lúcia Castro.

No levantamento do ano passado, no mesmo período, o Índice de Breteau foi aferido em 2,3. Naquele ano foram registrados 2.883 casos confirmados de dengue (sendo 2.677 - autóctones, 198 - importados, 8 - indeterminados). "É importante que as pessoas tenham a consciência de que o Aedes aegypti não transmite apenas a dengue, mas também zika, chikungunya e febre amarela. Por isso, é fundamental que as pessoas façam a vistoria nos quintais, eliminem qualquer objeto que possa acumular água e servir de criadouro para os mosquitos", alerta.