Geral

Controle: Jundiaí lança campanha preventiva contra Aedes e escorpiões

No combate ao mosquito Aedes aegypti e aos escorpiões, a Prefeitura lança a campanha Xô, pragas


No combate ao mosquito Aedes aegypti e aos escorpiões, a Prefeitura de Jundiaí lança a campanha "Xô, pragas", com um alerta para que a população aja de forma preventiva. 

Escorpiões

"É necessário organização e limpeza dos imóveis residenciais e comerciais que tendem a acumular resto de material de construção, entulho, lixo e representam abrigo para animais peçonhentos", explica o gerente da Vigilância em Saúde Ambiental (VISAM), Carlos Hitoshi Ozahata. O uso de anteparos como telas, ralos nas grelhas externas e vedação nas portas, principalmente no período da noite, também colaboram na prevenção. 

O escorpião está adaptado aos ambientes urbanos. Nesses locais, há uma maior incidência do escorpião-amarelo (Tityus serrulatus) principalmente nas galerias pluviais, onde não há predadores. De acordo com Ozahata, ainda é importante ressaltar que o controle químico é pouco eficaz por conta das características biológicas da espécie que percebe a presença do veneno e migra para outro local. 

"Na cidade, há o mapeamento onde existe uma maior infestação de escorpiões, em outras áreas colocamos armadilhas para identificar a concentração. Já em alguns pontos, são feitas as retiradas mecânicas, enquanto o controle químico acontece em casos específicos que tecnicamente contam com uma indicação", destaca Ozahata.

Uma vez que o munícipe tenha alguma dúvida, ou deseja que os profissionais façam uma avaliação diagnóstica no imóvel, é preciso que a solicitação seja registrada no 156.

Aedes aegypti

O trabalho de controle ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela em Jundiaí, é realizado durante o ano inteiro e intensificado principalmente nos períodos de altas temperaturas e chuva. Já a Operação Verão visa alertar a população neste período.

"Neste período, as altas temperaturas e chuvas proporcionam criadouros do mosquito e a transmissão aumenta. A sociedade já sabe quais são os cuidados e as medidas de cautela. Com a permanência das pessoas em casa, em virtude da pandemia do Coronavírus, elas devem aproveitar o momento fazer a vistoria nos imóveis, caixas d'água, calhas e outros locais onde pode existir acúmulo de sujeira que forma o bolsão de água e a reprodução do mosquito", comenta Ozahata.

O Programa Municipal de Vigilância do Vetor Transmissor das Arboviroses em Jundiaí realiza atividades ao longo do ano, como a pesquisa de Pontos Estratégicos cadastrados, onde há grande número de criadouros de mosquito e as vistorias são feitas a cada 20 dias; controle em Imóveis Especiais com grande trânsito de pessoas ou agrupamento, visitas domiciliares por meio dos agentes comunitários de saúde, busca ativa dos assintomáticos, investigação epidemiológica das notificações suspeitas, controle químico pontual e o levantamento do Índice do Breteau, realizado duas vezes ao ano, que avalia na cidade a concentração do mosquito por bairros e isso traz indicadores para ações preventivas e de combate.