Geral

Agendamentos de consultas e exames são retomados na rede municipal

Após período de suspensão, os agendamentos são retomados com normas e padrões rígidos


Após a suspensão das consultas e exames eletivos das redes de Atendimento Básico e Ambulatorial da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), entre os meses de março e abril, os agendamentos e atendimentos de rotina são retomados com normas e padrões rígidos para evitar a aglomeração, além de maior tempo entre um agendamento e outro. Durante o período de suspensão, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) permaneceram abertas para o acolhimento dos usuários, bem como as equipes realizaram acompanhamento dos casos classificados como prioritários por telefone.

De acordo com Tiago Texera, gestor da UGPS, a retomada gradual foi iniciada em maio. "Aplicamos medidas rígidas para o atendimento de forma a evitar o acúmulo de pessoas nas UBSs e Ambulatórios da cidade. Os horários são espaçados e o agendamento está sendo feito pelas equipes das UBSs, conforme a priorização de cada unidade. Vale ressaltar que, assim que liberada a condição de isolamento e distanciamento controlado - necessária pelo cenário epidemiológico vivenciado - serão realizados mutirões para a eliminação de filas que, porventura, possam ser registradas", destaca.

Nenhum serviço de saúde foi fechado. Todos estão atendendo as agendas prioritárias (pacientes descompensados, gestantes e crianças abaixo de dois anos), bem como os ambulatórios de oncologia e traumatologia permaneceram em atendimento, inclusive com a realização de cirurgias de emergência. Já a demanda espontânea está sendo atendida normalmente em todas as UBSs com o acolhimento dos casos, realização de aferição de pressão, glicemia, curativos e demais procedimentos, inclusive atendimentos de urgência odontológica. Os pacientes desmarcados foram acompanhados por telemonitoramento.

Cabe acrescentar que os diabéticos e os hipertensos acompanhados pela rede municipal de saúde estão recebendo profilaxia para 90 dias, desta forma, evitando o deslocamento desnecessário e que poderia colocá-los em risco. Os pacientes que fazem uso de medicação de alto custo, disponibilizada pela Secretaria de Estado da Saúde, também estão tendo a dispensação ampliada para 60 dias, conforme a liberação das medicações pelo órgão estadual ao município.