Esportes

Após rebaixamentos, Galo se torna bicampeão da Copa Paulista

A coluna Memórias do Paulista FC segue neste sábado com um rápido resgate de um dos momentos de alegria


A coluna Memórias do Paulista FC, o Galo Jundiaiense, segue neste sábado (6) com um rápido resgate de um dos momentos de alegria que ocorreu com o torcedor jundiaiense, depois de anos de tristeza que ocorreram logo após o principal título da história deste clube, hoje com 111 anos.

Depois da conquista da Copa do Brasil, em 2005, a chance única de ter disputado uma edição de Libertadores de América, o Galo que estava numa zona intermediária (entre a elite e os menores do futebol nacional), sucumbiu diante de tantos problemas administrativos, financeiros, gestões confusas e elencos sem grande expressão, caindo em dois anos seguidos da Série B para a Série D (2007 para 2008 e de 2008 para 2009).

Porém, em 2010, o clube em âmbito estadual trouxe Fernando Diniz, até então um novo treinador, que já havia se destacado no Audax (clube empresa do grupo Pão de Açucar). Ele veio com teorias revolucionárias, que até hoje as defende, como goleiro aprender a trabalhar o jogo com os pés, maior valorização de posse de bola e, com isso, diante de um elenco recheado de garotos e um experiente volante como Fábio Gomes, o Paulista foi disputar a Copa Federação Paulista, competição que dá ao campeão participação na Copa do Brasil. E com uma campanha boa, valorizando resultados em casa e aproveitando bons jogadores da base como Eli e Rodrigo Sabiá, Serrano, Douglas, Hernane (que foi para o Flamengo e Sport),  Marquinhos entre outros, o Galo fez a decisão com o Red Bull em Jayme Cintra e empatou por 1 a 1, com gol de cabeça de Rodrigo Sabiá, levando o primeiro título.

Para um torcedor jundiaiense que já estava cansado de tantos vexames e decepções, foi um momento marcante. E, no ano seguinte, com  o comando de Vágner Lopes, que foi auxiliar de Vágner Mancini na conquista da Copa do Brasil, o Paulista voltou a brilhar nesta Copa Paulista, virando uma espécie de bicho papão da competição, levando o bicampeonato. Pena que parou por aí. Na próxima semana seguimos com os anos ruins até 2019.