Economia

Prefeitura e Sebrae vão ouvir representantes da economia local

Parimoschi destacou a importância de fazer um plano de recuperação ouvindo todos os atores envolvidos


Cerca de 60 representantes de diferentes entidades do setor público, das instituições de ensino, da indústria, comércio e serviços participaram da segunda reunião de trabalho para elaboração do PDL (Programa de Desenvolvimento Local), ocorrida de maneira virtual na manhã desta quarta-feira (3). No encontro, foram apresentados todos os passos e objetivos do programa para os membros que farão parte da chamada Governança, composta por diferentes instituições da sociedade civil. Prefeitura e Sebrae firmaram compromisso para fazer o PDL no último dia 22 de fevereiro.

O PDL permitirá, a partir de um diagnóstico das principais vocações econômicas da cidade, fomentar setores e qualificar os micro e pequenos negócios em Jundiaí. Após o diagnóstico, será realizada uma série de ações na forma de programas técnicos, projetos e atividades de apoio aos microempreendedores individuais (MEI), às microempresas (ME) e às empresas de pequeno porte (EPP), com vistas ao fomento da economia local.

O PDL faz parte da segunda etapa do programa Jundiaí Empreendedora, criado em abril do ano passado para diminuir, no âmbito econômico, os reflexos negativos na pandemia da Covid-19. Participam desse trabalho, além da Prefeitura e do Sebrae, a chamada Governança, que conta com diferentes organizações da sociedade civil.

O gestor de Governo e Finanças da Prefeitura, José Antonio Parimoschi, destacou a importância de fazer um plano de recuperação da economia ouvindo todos os atores envolvidos: governo, empresas, instituições e empreendedores. "Nossa meta de curto prazo é preservar as empresas e empregos, ajudando neste momento de transição, e, no médio e longo prazos, tornar o ambiente econômico mais amigável e atrair novos negócios para a cidade, especialmente os pequenos e médios. Nesse momento difícil, o prefeito está determinado a cuidar não só da preservação das vidas, mas também de fazer algo consistente para preservar nossa economia", observou Parimoschi.

Na semana passada, a primeira reunião do programa uniu representantes da Prefeitura e do Sebrae para mapear os membros da Governança. Agora, os membros identificados responderão um questionário de perguntas e ajudarão na elaboração do diagnóstico com as características de cada uma das vocações da cidade. Em um segundo momento, de junho a dezembro, serão implantadas as ações definidas como estratégicas para a recuperação dos setores da economia municipal.

"Nosso tempo é curto, pois até o fim do ano teremos de apresentar resultados com a aplicação do PDL", explicou Tiago Antunes, coordenador regional do Sebrae. "Essa fase do diagnóstico exige um esforço de todos os envolvidos e por isso é importante que os presentes nesta reunião participem ativamente", declarou o gestor de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Cristiano Lopes.

Governança

O 1º vice-diretor do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de Jundiaí, Alexandro Zavarizi, participou da reunião virtual e elogiou o trabalho que está sendo feito na cidade. "A iniciativa é fantástica. O que estamos vivendo em Jundiaí e no planeta todo reforça que nós temos que nos ajudar", pontuou ele. "Há muitos setores sofrendo com esse momento e, por isso, é necessário entender os problemas para saber o que faremos para contribuir".

Para o presidente do Sindicato dos Comerciários de Jundiaí e Região, Milton Araújo, a reunião foi produtiva. "Vi pessoas das mais diferentes áreas nessa reunião, todos unidos pela economia de Jundiaí e Região", declarou.

Os membros da Governança terão até o dia 14 de março para responder ao questionário proposto pelo Sebrae. Em seguida, os dados serão tabulados e ajudarão a traçar o diagnóstico da economia de Jundiaí.