Economia

Pesquisa aponta diferença de até 222% em material

A pesquisa foi feita pelo Procon nos dias 2 e 3 de janeiro em seis estabelecimentos comerciais


O Procon divulgou nesta terça (14) a pesquisa de preços de material escolar, feita nos dias 2 e 3 de janeiro em seis estabelecimentos comerciais do município. A maior diferença de preço encontrada foi de 222,22% na cola branca líquida de 37g da Acrilex: o maior preço encontrado foi de R$ 2,90, e o menor, R$ 0,90. A pesquisa completa pode ser visualizada no link https://jundiai.sp.gov.br/procon/wp-content/uploads/sites/24/2020/01/pesquisa-material-escolar-2020-jundiai.pdf

Para a comparação, foram considerados somente os itens comercializados em, no mínimo, três dos locais visitados, totalizando 107 itens, relativos aos seguintes tipos de produtos: apontador, borracha, caderno, canetas esferográfica e hidrográfica, colas em bastão e líquida, fita corretiva, giz de cera, lápis preto e colorido, lapiseira, marca texto, massa de modelar, papel sulfite, pintura a dedo, refil para fichário, régua escolar e tesoura sem ponta.

Para viabilizar a comparação optou-se por coletar o preço à vista, pago por meio do cartão de crédito (sem utilização do crédito rotativo), já que desde 26/06/2017 está em vigor a Lei nº 13.455, que autoriza a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

Os preços praticados atualmente podem ser diferentes, já que estão sujeitos à alteração conforme a data da compra, inclusive, por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções.

De acordo com o chefe do Procon Jundiaí, Adilton Garcia, antes de ir às compras, é bom verificar quais dos produtos da lista de material o consumidor já possui em casa e, ainda, se estão em condições de uso. "Promover a troca de livros didáticos entre alunos também pode representar economia", afirma. "Alguns estabelecimentos também concedem bons descontos para compras em grandes quantidades, e pode ser interessante o consumidor se reunir com outros pais para uma compra coletiva", orienta.