Economia

CEC se reune com representantes das redes de supermercados

A informação é que os supermercados contam com estoques para suprir os moradores com tranquilidade


Entre os setores impactados pela pandemia declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) está o de supermercado que, a partir da busca crescente por alimentos pela população, tem apresentado desabastecimento temporário de gôndolas. Com o objetivo de reduzir o desconforto à população e manter linha direta de comunicação com o setor, o Comitê de Enfrentamento do Coronavírus (CEC) da Prefeitura de Jundiaí, se reuniu com representantes das redes de supermercados, na tarde desta quarta-feira (18), na Sala de Situação do Paço Municipal.

Entender o setor, as dúvidas, as dificuldades e as necessidades para evitar o desabastecimento foi a tônica da reunião com representantes de todas as redes supermercadistas que atendem a cidade. "Tivemos a informação de que os supermercados contam com estoques para suprir os moradores com tranquilidade. Da parte da administração, foi disponibilizada cartilha com recomendações sanitárias específicas para a infecção COVID-19 ao setor de alimentos. Ainda tivemos o apoio das unidades para a divulgação das práticas de prevenção, com a higiene frequente das mãos e o entendimento da necessidade de evitar as aglomerações", detalhou o prefeito Luiz Fernando Machado.

O prefeito ainda explicou que a fiscalização em andamento, pelos agentes do Procon, tem o objetivo de conter o aumento dos preços e levará em consideração não somente os preços nas prateleiras hoje, quanto os que eram praticados antes da pandemia.

O presidente da Associação Paulista de Supermercados (APAS), Ronaldo Covabra, participou do encontro por ligação telefônica. "Não temos falta de produtos - exceto o álcool gel -. O que tem acontecido é a não reposição em tempo oportuno para a população. Houve aumento significativo na procura em itens como de limpeza, de congelados, de enlatados e de ensacados de longa duração, além do papel higiênico. A indicação que é feita pela APAS é para que os associados reforcem as equipes de reposição e de transporte para que os consumidores tenham sempre as gôndolas completas", ressaltou.

A reunião também reforçou a importância dos supermercados como meios educativos para a população. "É preciso conter a circulação das pessoas e, consequentemente, do novo coronavírus. Aqueles que puderem, fiquem em casa. Quanto menos pessoas em circulação, menor a possibilidade de contaminação. Essas medidas são fundamentais para os idosos, que formam o público mais vulnerável", explica o gestor da Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS) Tiago Texera.

VEJA TAMBÉM...