Geral

Dengue: Zoonoses mantém ações no Novo Horizonte

Vistoria resultou na localização de 25 amostras de larvas do mosquito Aedes aegypti


A atuação das equipes da Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ) em parceria com as agentes comunitárias de saúde da Clínica da Família do Novo Horizonte, na quarta-feira (6), resultou na localização de 25 amostras de larvas do mosquito Aedes aegypti em 397 residências vistoriadas. De acordo com análise da UVZ, índice aponta a não adesão dos moradores ao combate aos mosquitos, mantendo o risco de transmissão da dengue e outras arboviroses.

"A região do Novo Horizonte vem sendo trabalhada há várias semanas, com atuações de busca ativa de sintomáticos, orientação da população sobre a necessidade de eliminação de material que possa se transformar em criadouros e nebulização. No entanto, nessa ação identificamos que apesar de toda a orientação, criadouros nos quintais dos imóveis. É preciso que a população se conscientize e faça a sua parte para o combate ao mosquito transmissor", alerta a biomédica da UVZ, Ana Lúcia de Castro Silva.

No trabalho de vistoria e orientação realizado nesta semana, além dos 397 imóveis vistoriados, outros 228 estavam fechados e 8 proprietários se recusaram a atender as equipes. Nas 25 casas com amostras de larvas localizadas, os criadouros foram encontrados em: tambores, pneus, brinquedos, pratos de vasos, latas, baldes, pias desativadas, garrafas, lonas, sucatas de veículos, plantas aquáticas, bromélias, vasos, tijolos, vasos sanitários desativados, máquinas de larvar roupa e até buraco no piso. "É importante salientar que todas as coletas de larvas de Aedes aegypti foram em imóveis com responsável orientado quanto às medidas preventivas. Todos criadouros de fácil eliminação, passíveis de remoção e, muitos, tratados como lixo ou material para descarte", detalha a biomédica.

VEJA TAMBÉM...