Geral

Cidade ganha praça com conceitos cívicos e históricos

A praça, na Nove de Julho, celebra a memória da Revolução Constitucionalista


A avenida Nove de Julho ganhou mais uma praça revitalizada, desta vez a partir de conceitos cívicos e históricos. A Praça Monsenhor Doutor Arthur Ricci - Espaço Cívico MMDC / Heróis do Trem Blindado foi entregue na manhã desta sexta-feira (12).

Localizada no início da avenida, próxima ao cruzamento com a avenida Prefeito Luiz Latorre, a praça celebra a memória da Revolução Constitucionalista de 1932. Na ocasião, o prefeito e outras autoridades receberam a medalha "Heróis do Trem Blindado", concedida pelo Núcleo MMDC Jundiaí, composto por cinco unidades da força militar do Estado. A sigla MMDC é uma referência às iniciais dos manifestantes paulistas Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, mortos em evento que antecedeu e foi uma das razões para o conflito.

A nova praça poderá ser utilizada para atividades de lazer. "Além de homenagear o bravo movimento paulista, a praça está em linha com a meta da Administração de fomentar o sentimento de pertencimento na população, além de resgatar fatos relevantes do nosso Estado", destacou o prefeito Luiz Fernando. "Que siglas e nomes, como o MMDC, possam significar muito mais do que apenas placas ou fatos distantes, e sim oportunidades para aprendermos mais sobre nossa história".

A praça é repleta de simbolismos referentes à Revolução Constitucionalista, e conta inclusive com a estátua do soldado que estava instalada no final da Nove de Julho e havia sido vandalizada. Recuperada, ela fica numa das extremidades do novo espaço. Falando em nome do Núcleo MMDC, o 2º tenente da PM Tamir Klaus Meitling agradeceu ao prefeito pela iniciativa. "Estou muito feliz por ver o comprometimento de todos. Apesar de jovem, o prefeito tem um sentimento patriótico enraizado e, desde o princípio, acolheu esta ideia. Sem o resgate dos valores cívicos, não há Pátria", afirmou.

O que foi o Trem Blindado

Os trens tiveram uma participação importante não só no transporte de tropas na Revolução de 1932, que colocou São Paulo contra o resto do Brasil, mas também como uma arma de guerra. Os temidos trens blindados TB1 a TB6 eram equipados com fortes holofotes, canhões e metralhadoras, e seguiam até as linhas inimigas, quando abriam fogo ao mesmo tempo em que acendiam as luzes; chegaram a ser conhecidos como "Fantasmas da Morte" pelo seu poder de destruição. Para resgatar esse fato histórico, quase desconhecido da população, é que as medalhas, e a praça, levam esse nome.

SEE ALSO ...