Economia

Comércio está otimista com as vendas do Dia das Crianças

Neste sábado (05), as lojas do Centro de Jundiaí terão horário estendido até às 18h


A expectativa para o Dias das Crianças é positiva e as vendas podem ser até 3% maiores em comparação ao mesmo período de 2018, segundo projeção do Sindicato do Comércio Varejista de Jundiaí e Região (Sincomercio) e da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Neste sábado (05), as lojas do comércio do Centro de Jundiaí poderão funcionar até as 18h. Em homenagem ao Dia das Crianças, as entidades realizarão uma ação social com programação gratuita na Praça Governador Pedro de Toledo, a Praça da Matriz.

De acordo com Edison Maltoni, presidente das entidades representativas do comércio, os presentes deverão ter um tíquete médio de R$ 80,00. Os brinquedos são os produtos que mais devem ser procurados, especialmente bonecas, jogos de tabuleiro, carrinhos. No entanto, a data também movimenta os setores de vestuário, calçados e eletrônicos, como celulares, tablets e notebook.

"O Dia das Crianças é uma data importante para as vendas, especialmente por ser a última grande festa comemorativa antes do Natal. Ao contrário das mães, pais e namorados, que ganham apenas um presente, as crianças acabam ganhando vários, pois além dos pais, recebem dos avós, padrinhos, tios, o que acaba movimentando mais as lojas", observa Maltoni. 

Segundo os economistas da Boa Vista SCPC, o desempenho das vendas do Dia das Crianças deve acompanhar a trajetória de aceleração do ritmo de crescimento do varejo, impulsionada pela recuperação gradual do mercado de trabalho, pelo aumento da confiança, pela expansão das concessões de crédito e pela liberação dos recursos do FGTS.

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais revela que 73% dos consumidores devem ir às compras este ano. No ano passado, 66% compraram presentes na data. Para 2019, a expectativa é de que o varejo movimente aproximadamente R$ 10,3 bilhões.

 

SEE ALSO ...