Geral

PRÉ ADOLESCÊNCIA


     Pai, me adianta a mesada de abril? (fevereiro e março já adiantados...) É pra atualizar o GTA 5 , porque eu já completei todas as fases...

     Seja lá o que for o tal GTA5, adianto abril, já sabendo que até lá acabo "me esquecendo" e pagando a mesada de novo. Foram-se os tempos das miniaturas de heróis, da coleção de camisas de times de futebol, da ida com o pai à feira do Jundiaí Mirim...

     Do alto dos seus doze anos, alguma coisa permanece inalterada: o carinho e as brigas intermináveis com o irmão mais novo (muito mais novo); as queixas contra os mesmos professores na escola, na qual está um ano adiantado, no sétimo ano (na minha cabeça sexagenária, terceiro ano do ginásio, ou sétima série do primeiro grau).

     Mas muita coisa está mudando: a voz já é de tenor - e quando se livra da vergonha canta Bohemian Rapsody inteira, além de saber a história do Queen de cor e salteado -; os banhos são demorados além do necessário...; pescar comigo deixou de ser importante, porque nos fins de semana vai ao cinema com os colegas, uma das poucas coisas que a tecnologia não extinguiu e que é programa de turma há décadas; e o pai já não é mais o herói que foi, porque seus defeitos estão mais visíveis para sua mente que está deixando aos trancos e barrancos de ser infantil.

     As perguntas também mudam, as respostas são mais complexas, o que só aumenta a confusão de conceitos.  Não quer explicações simples, mas as difíceis ainda não entende; cérebro e corpo em transição, o que se vê nas espinhas no rosto e no tamanho, já me passando na altura quando um ano atrás mal batia em meu ombro...

     Muito ainda está por vir, mas o caminho está aberto e cheio: cheio de sonhos, de dúvidas, de planos, de pedras nas quais vai topar, cair e levantar seguidas vezes, porque assim exige e cobra a vida.

     A fadinha do dente não existe mais; seus dentes são todos permanentes, mas todo o resto obedece à lei da impermanência e está em mutação constante.  Ainda não sabe, mas seu GTA5 ainda é uma época de felicidade intensa e de ausência dos problemas cotidianos, tediosos e irritantes; ainda vive numa realidade virtual e simulada, aprendendo aos poucos o que virá quando os heróis e vilões dos monitores das telas saírem do mundo da fantasia e passarem a povoar sua realidade.  Por enquanto, Nicolas, continue a cantar Bohemian Rapsody a plenos pulmões (algo que nos une, pois também o fiz), a curtir os mesmos The Who e Pink Floyd que curti , a se preparar para os próximos passos, que farão de você o grande homem que se prenuncia, com as virtudes e defeitos próprios da natureza humana. Don't miss the started gun...


SEE ALSO ...